17/11/2017
254
Despacito domina Grammy Latino com quatro prêmios
Fonte da Notícia:
https://g1.globo.com/pop-arte/musica/noticia/despacito-domina-grammy-latino-com-quatro-premios.ghtml


A música Despacito, sucesso de Luis Fonsi e Daddy Yankee, levou quatro Grammys Latinos na 18ª edição do prêmio, nesta quinta-feira (16), em Las Vegas.
A canção obteve os prêmios de melhor música do ano, melhor gravação, melhor fusão por sua versão com Justin Bieber, que alcançou o topo do ranking Hot 100 da Billboard, e melhor vídeo em versão curta.

-Este prêmio é trabalho em equipe, há muita gente envolvida. (...) Daddy Yankee, obrigada por se juntar, disse Fonsi ao receber o prêmio de melhor gravação, que dedicou, entre lágrimas, à sua família e à sua Porto Rico natal, que se recupera da devastação causada pelo furacão Maria.

O Grammy Latino de álbum do ano foi para Salsa Big Band, de Rubén Blades, com Roberto Delgado e sua orquestra.
O trabalho do veterano panamenho, o segundo gravado com seu compatriota Delgado e banda, levou também o prêmio de melhor álbum de salsa.
O rapper porto-riquenho Residente, que chegou com nove indicações ao Grammy, levou duas estatuetas: melhor álbum de música urbana por Residente, seu ambicioso projeto baseado em um estudo de seu genoma, e pela canção Somos anormales.

-A arte não tem a ver com números, então parem de falar de quantidade de seguidores, quantidade de views, e comecem a falar de música, disse.

O dominicano Vicente García levou o prêmio de melhor artista revelação, acumulando três Grammy, após seu A la mar, produzido por Eduardo Cabra, conquistar melhor álbum cantor/autor e melhor canção tropical, com Bachata en Kingston.
A maioria dos prêmios foi entregue na Premiere, uma cerimônia que antecede à grande festa transmitida pela TV, à qual nem Luis Fonsi, nem Daddy Yankee compareceram.

Entre os brasileiros premiados, estão Tiago Iorc, que levou o Grammy Latino de melhor álbum pop contemporâneo em língua portuguesa, com Troco likes ao vivo: um filme de Tiago Iorc, e Nando Reis, na categoria melhor álbum de rock ou música alternativa em língua portuguesa, com Jardim - Pomar.
Já o cantor Daniel levou o prêmio de melhor álbum de música sertaneja, com Daniel, enquanto Aline Barros venceu na categoria de melhor álbum de música cristã (língua portuguesa), com Acenda a sua luz, e Mart nália ganhou o prêmio de melhor álbum de samba/pagode, com + Misturado.
O prêmio de melhor álbum de Música Popular Brasileira foi para Edu Lobo, Romero Lubambo e Mauro Senise, por Dos navegantes, e o de melhor canção em língua portuguesa para Ana Vitória com Tiago Iorc, por Trevo (Tu).

Confira lista de ganhadores do Grammy Latino 2017:

Melhor álbum de pop contemporâneo em língua portuguesa
Troco Likes Ao Vivo: Um Filme De Tiago Iorc - Tiago Iorc

Melhor álbum de rock ou de música alternativa em língua portuguesa 
Jardim – Pomar - Nando Reis

Melhor álbum de samba/pagode
+ Misturado - Mart nália

Melhor álbum de música popular brasileira
Dos Navegantes - Edu Lobo, Romero Lubambo, Mauro Senise

Melhor álbum de música sertaneja
Daniel - Daniel

Melhor álbum de música de raízes brasileiras
Ao Vivo - Melodias Do Sertão - Bruna Viola

Melhor canção em língua portuguesa
Trevo (Tu) - Ana Caetano & Tiago Iorc, songwriters (AnaVitória Featuring Tiago Iorc)

Melhor álbum de música cristã (língua portuguesa)
Acenda A Sua Luz - Aline Barros

Gravação do ano
Despacito - Luis Fonsi Featuring Daddy Yankee

Álbum do ano
Salsa Big Band - Rubén Blades Con Roberto Delgado & Orquest

Canção do ano
Despacito - Daddy Yankee, Erika Ender e Luis Fonsi

Artista revelação 
Vicente García

Melhor álbum de vocal contemporâneo
El Dorado – Shakira

Melhor álbum de vocal tradicional
Salón, Lágrimas y Deseo - Lila Downs

Melhor fusão/interpretação urbana
Despacito (Remix) - Luis Fonsi e Daddy Yankee Featuring Justin Bieber

Melhor álbum de música urban
Residente - Residente

Melhor canção urban
Somos Anormales - Rafael Arcaute, Igor Koshkendey e Residente

Melhor álbum de rock
La Gran Oscilación - Diamante Eléctrico

Melhor álbum de rock/pop
Mis Planes Son Amarte – Juanes

Melhor canção de rock
Déjala Rodar - Juan Galeano
La Noche - Andrés Calamaro

Melhor álbum de música alternativa
Jei Beibi - Café Tacvba

Melhor canção alternativa 
Amárrame - Mon Laferte, songwriter (Mon Laferte Featuring Juanes)

Melhor álbum de salsa
Salsa Big Band - Rubén Blades Con Roberto Delgado & Orquesta

Melhor álbum de Cumbia/Vallenato
Ni Un Paso Atrás - Jorge Celedón y Sergio Luis Rodríguez

Melhor álbum tropical contemporâneo
Bidimensional – Guaco

Melhor álbum tropical tradicional
To Beny Moré With Love - Jon Secada Featuring The Charlie Sepúlveda Big Band

Melhor álbum de fusão tropical
Olga Tañón Y Punto - Olga Tañón

Melhor canção tropical
Bachata En Kingston - Vicente García, songwriter (Vicente García)

Melhor álbum cantor compositor 
A La Mar - Vicente García

Melhor álbu de música rancheira/mariachi
Las Caras Lindas - Flor De Toloache

Melhor álbum de música banda
Ayer y Hoy - Banda El Recodo De Cruz Lizárraga

Melhor álbum de música nortenha
Piénsalo - Los Palominos

Melhor canção regional
Siempre Es Así - Juan Treviño

Melhor álbum instrumental
Spain Forever - Michel Camilo & Tomatito

Melhor álbum de música folclórica 
Musas (Un Homenaje Al Folclore Latinoamericano En Manos De Los Macorinos, Vol. 1) - Natalia Lafourcade

Melhor álbum de tango 
Solo Buenos Aires - Fernando Otero

Melhor álbum de música flamenca
Memoria De Los Sentidos - Vicente Amigo

Melhor álbum de jazz latino/jazz
Dance Of Time - Eliane Elias

Melhor álbum de música cristã (língua espanhola)
Momentos - Alex Campos

Melhor álbum infantil latino
Marc Anthony For Babies - Vários Artistas

Melhor álbum de música clássica
Música De Compositores Costarricenses Vol. 2

Melhor obra/composição clássica contemporânea
Sonata Del Decamerón Negro - Leo Brouwer

Melhor projeto gráfico de um álbum
El Orisha De La Rosa

Melhor álbum de engenharia de gravação
Mis Planes Son Amarte

Produtor do ano
Eduardo Cabra

Melhor vídeo musical versão curta
Despacito - Luis Fonsi Featuring Daddy Yankee

Melhor vídeo musical versão longa
Musas, El Documental - Natalia Lafourcade
Comentários
Mais Notícias
20/04/2018
DJ Avicii morre aos 28 anos
DJ e produtor sueco Avicii morreu aos 28 anos nesta sexta-feira (20). O corpo do músico foi encontrado na cidade de Mascate, em Omã, no Oriente Médio. A causa da morte ainda não foi divulgada.
É com profundo pesar que anunciamos a perda de Tim Bergling, também conhecido como Avicii, diz o comunicado da assessoria do DJ enviado à imprensa.
Ele foi encontrado morto em Mascate, Omã, na tarde desta sexta. A família está devastada e pedimos a todos para respeitar, por favor, a sua necessidade de privacidade nesta ocasião difícil. Declarações adicionais não serão feitas.
Avicii foi um dos maiores nomes da música eletrônica dos últimos anos. Ele nasceu em Estocolmo e assinou com o selo Dejfitts Plays em 2007, aos 18 anos. Em 2013, lançou seu trabalho de estreia, True, com uma das músicas de maior sucesso no mundo daquele ano, Wake me up. Em 2015, lançou o álbum Stories.
Entre seus outros sucessos estão Hey brother, I could be the one e Levels. Avicii era associado aos subgêneros da música eletrônica de house progressivo, electro house e EDM.
Outros artistas da música eletrônica, como Calvin Harris, Marshmello e DJ Snake, lamentaram a morte de Avicii. 

PROBLEMAS DE SAÚDE
Em 2014, Avicii cancelou todos os compromissos profissionais daquele ano. Seus representantes disseram que o DJ iria descansar em sua casa em Estocolmo, e se recuperar de complicações relacionadas a cirurgias para remover o apêndice e a vesícula biliar, feitas no começo daquele ano.
A notícia levou a comentários sobre a aparência do cantor em redes sociais. Na época, fãs divulgaram fotos em que Avicii aparecia muito magro. Uma das imagens, divulgada pelo selo de música eletrônica Straight Up, dos EUA, tinha a legenda: Avicii parece estar com 70 anos, parece que realmente precisa de um descanso, com certeza.
20/04/2018
EU MORO NUM SÍTIO, lançamento da dupla Rionegro & Solimões
Durante a semana inteira, dou um duro de verdade.
Sexta-feira à tarde arreio o meu cavalo e vou pra cidade.
Aí o bicho pega, eu caio na zoeira.
É só mulher bonita e muita bebedeira.
Quem aí se identifica com o lançamento de Rionegro & Solimões - EU MORO NUM SÍTIO?


Letra:

Eu moro num sítio levo uma vida simplesinha
Pulo da cama cedo pra tirar leite das vaquinhas
Umas galinhas no quintal, os porquinhos no chiqueiro
Um galo apaixonado que canta no meu terreiro
Durante a semana inteira dou um duro de verdade
Sexta-feira à tarde arreio o meu cavalo e vou pra cidade  

Aí o bicho pega, eu caio na zoeira                          
É só mulher bonita e muita bebedeira
Eu perco o juízo, eu saio da casinha
Começo no boteco, depois passo na boate e amanheço na chacrinha 
 
Aí o bicho pega, pega, pega, pega, pega eu caio na zoeira   
É só mulher bonita e muita bebedeira
Eu perco o juízo, eu saio da casinha            
Começo no boteco, depois passo na boate e amanheço na chacrinha
 
Só volto pro rancho domingo de tardezinha

Durante a semana inteira, dou um duro de verdade
Sexta-feira à tarde arreio o meu cavalo e vou pra cidade     

Aí o bicho pega eu caio na zoeira   
É só mulher bonita e muita bebedeira
Eu perco o juízo, eu saio da casinha
Começo no boteco, depois passo na boate e amanheço na chacrinha

Aí o bicho pega, pega, pega, pega, pega eu caio na zoeira
É só mulher bonita e muita bebedeira
Eu perco o juízo, eu saio da casinha
Começo no boteco, depois passo na boate e amanheço na chacrinha

Só volto pro sítio domingo de tardezinha
Lembro uma vez que eu voltei           
Segunda de manhãzinha
E outra vez eu fiquei     
A semana inteirinha!

18/04/2018
Entenda a doença de Simaria - TUBERCULOSE GANGLIONAR
A cantora Simaria, da dupla sertaneja com Simone, foi diagnosticada nesta terça-feira (17) com tuberculose ganglionar. Segundo infectologistas ouvidos pelo G1, essa forma doença não é contagiosa e tem baixa chance de morte.
Ela estava internada desde o dia 12 de abril no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. Simaria teve alta nesta terça, mas vai continuar o tratamento em casa, sob observação médica.

TIPO MENOS FREQUENTE
De acordo com o infectologista Eduardo Martins, do Instituto Brasileiro para Investigação da Tuberculose, essa versão ganglionar é apenas uma apresentação mais rara da infecção:
É o mesmo bacilo da tuberculose pulmonar. A pulmonar é apenas o tipo mais frequente de apresentação da tuberculose, com 85% dos casos. De uma forma geral, é uma bactéria que dá em todos os órgãos: pulmão, coração, pleura e também nos gânglios.

DIAGNÓSTICO
No diagnóstico são utilizados os seguintes exames: baciloscopia, teste rápido molecular para tuberculose e cultura para micobactéria, além da investigação complementar por exames de imagem.

TRATAMENTO
O tratamento do tipo ganglionar é o mesmo da tuberculose comum. O paciente deve ser tratado com antibióticos durante pelo menos seis meses, segundo orientações do Ministério da Saúde e do médico especialista.
A pessoa precisa manter o tratamento por no mínimo seis meses a um ano. Não pode parar, porque se nem todas as bactérias forem atingidas pelo antibiótico, podem surgir cepas resistentes. Tuberculose tem cura, mas precisa seguir de forma bem rigorosa a prescrição do médico, disse o infectologista Edimilson Migowski.

CAUSAS
A tuberculose ganglionar pode se desenvolver devido a uma baixa no sistema imunológico. É uma doença agressiva por si só. Quando você tem sarampo, uma doença viral extremamente agressiva, baixa a imunidade e você tem pneumonia como consequência. Já a tuberculose tem essa coisa de reativar, mas ela é agressiva por si. A bactéria fica incubada e pode ser que o aumento do estresse, baixa imunidade, reativem a doença, explica Eduardo Martins.
A quantidade enorme de shows, comendo mal, viajando de um lugar pro outro, estresse, podem causar a tuberculose. - Edimilson Migowski

SINTOMAS
Os sintomas, de acordo com os especialistas, são febre, calafrios, inchaço com dor, perda do apetite, suor excessivo.
Os sinais são pouco significativos e não chamam muito a atenção no início: uma febre baixa, que acontece geralmente no final do dia, cansaço, mal estar, sensação de fraqueza, tosse, dor no corpo, suor noturno e inapetência, explica a colunista do G1, Dr Ana Escobar.
Estes sintomas, por serem muito inespecíficos, podem perdurar meses sem que a pessoa procure o médico. Muitos confundem este quadro com o cansaço e a correria do dia a dia e vão levando a vida.

PREVENÇÃO
A principal maneira de prevenir a tuberculose em crianças é com a vacina BCG (Bacillus Calmette-Guérin), ofertada gratuitamente no Sistema Único de Saúde (SUS). Normalmente já administrada para os bebês na maternidade, com 48 horas de vida, e faz parte do calendário público de vacinação.

DOENÇA DO MUNDO
O mais recente relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre a tuberculose mostra que desde 2000 os casos da doença caíram 37% no mundo. No entanto, segundo a entidade internacional, a doença foi a condição infecciosa por agente patológico único que mais matou em 2016 - ficando à frente do HIV.
De acordo com a OMS, a tuberculose também é a principal causa de óbitos relacionados à resistência bacteriana e a principal causa de morte entre pessoas com HIV. A organização também alerta que muitos países não estão colocando em curso esforços suficientes para atingir as metas globais de controle da doença.
Enquanto o mundo se comprometeu a acabar com a epidemia de tuberculose até 2030, ações e investimentos não correspondem à retórica política. Precisamos de uma abordagem dinâmica, global e multissetorial, disse Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor-geral da OMS.

CONSCIENTIZAÇÃO
Conhecer os sintomas da tuberculose e divulgar a importância da tuberculose são tarefas que já envolveram personalidades que tiveram a doença. O zagueiro do Paris Saint-Germain Thiago Silva e o cantor Thiaguinho participaram de ações do ministério. Ambos tiveram a doença e se recuperaram plenamente.
Apesar de curável, a tuberculose atinge 6 milhões de pessoas e mata 1 milhão por ano em todo o mundo, de acordo com o Ministério da Saúde. No Brasil, a doença é um problema sério de saúde pública, e a cada ano são notificados cerca de 70 mil novos casos e 4,5 mil mortes.
Instagram